19 fevereiro 2018

Pense nisso!

"Gostaria que você soubesse que existe dentro de si uma força capaz de mudar sua vida, basta que lute e aguarde um novo amanhecer, porque a paz vem de dentro de você mesmo. Não a procure à sua volta, porque você não vai encontrar"...

Ó Senhor, vossas palavras são espírito e vida!

Jesus nos dá de beber, vestir e comer!

Jesus está sempre olhando para as nossas necessidades e dando de comer, beber e vestir. "Pois, Eu estava com fome e Me destes de comer; Eu estava com sede e Me destes de beber; Eu era estrangeiro e Me recebestes em casa; Eu estava nu e Me vestistes; Eu estava doente e cuidastes de Mim; Eu estava na prisão e fostes Me visitar" (Mt 25, 31-46).
Onde está Jesus? Ele está no meio de nós; Ele está entre nós. Todos nós queremos encontrar, recepcionar e estar em comunhão com Jesus. Nós Precisamos ter uma comunhão profunda com Jesus, nada de comunhão superficial ou de comunhão com Jesus apenas no sentido espiritual.
A presença de Jesus no meio de nós é real e concreta. Onde está Jesus? Jesus está lá no Sacrário, na Eucaristia que recebemos, e na Palavra que nos alimenta. Contudo, não podemos negar e nem deixar passar despercebido que, Jesus, está na pessoa do próximo, principalmente, daquele próximo mais sofrido.
Quanto mais sofrida é a pessoa, mas ela configura-se com a pessoa de Cristo. E, não é que Jesus esteja nela, e sim, que ela seja Jesus para nós.
Aquele pobre que não tem o que comer, não tem o que beber, aquela pessoa que não tem roupa para vestir; o preso que está julgado e condenado e que, muitas vezes,  zombamos ou fazemos pouco caso dele, esses são Jesus para mim. O doente, aquele enfermo sofrido, machucado, que por vezes são esquecidos, Jesus também está neles. Precisamos encontrar com Jesus que está nas praças públicas, que está jogado, abandonado e maltratado; precisamos encontrar Jesus no nosso irmão alcoólatra ou naquele que foi tomado pelo vício da droga.
Pode parecer cansativo e que não conseguiremos, mas não podemos negar aquilo que a Palavra está nos dizendo. "Todas as vezes que fizermos "isso" a um "menor", é a Jesus que estamos fazendo". E,  eles tornam-se menores para nós, não é por causa do tamanho, e sim pelo fato de que, quanto mais frágeis as criaturas humanas, mais desprezíveis elas se tornam.
Então, quanto mais desprezado for a pessoa, mais ela nos coloca em comunhão com Deus. Queremos abraçar a Jesus, cuidar d'Ele, amá-Lo, mas pode ser que, seja mais fácil ficar lá no Sacrário olhando para Ele, e Ele olhando para mim, porém, essa é uma forma muito egoísta de comunhão. Temos sim que olhar para Ele e Ele olhar para mim, mas devemos "sair" do olhar d'Ele, para olhar para os nossos irmãos mais pobres, sofridos, necessitados de amor, de cuidados e de ternura.
Nada de comunhão superficial com Deus, e sim, comunhão verdadeira e transformadora, cuidando dos mais pobres e necessitados.
Deus abençoe você!

#minisermao (19/02/18)

Esta vida é breve como um piscar de olhos; é um nada diante da eternidade. Cada minuto esconde um céu quando vivido na solidariedade. Jesus disse: "Olha, vocês que não foram sensíveis às dores e aos clamores do irmão, construíram um inferno, infernizaram a vida dos outros, escolheram isso para sempre." Nossa vida é feita de escolhas, mas o Mestre disse também para aqueles que foram solidários: "Você foi fraterno, você olhou para o irmão com compaixão, você construiu um céu na terra, portanto, agora você terá uma terra no Céu, você viveu na solidariedade, por isso, viverá na eternidade. (Mt 25,31-46)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Segunda-feira da 1ª semana da Quaresma

A Igreja recorda hoje a memória de S. Conrado de Placência, confessor, +1351, S. Bonifácio, bispo, +1265, S. Flaviano, patriarca de Constantinopla, mártir, +449.

Evangelho (Mt 25,31-46)

Eis o tempo de conversão; eis o dia da salvação (2Cor 6,2).
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Quando o Filho do Homem vier em sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. Todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. E colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: 'Vinde benditos de meu Pai! Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar'. Então os justos lhe perguntarão: 'Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede e te demos de beber? Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? Quando foi que te vimos doente ou preso, e fomos te visitar?' Então o Rei lhes responderá: 'Em verdade eu vos digo, que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!' Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: 'Afastai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno, preparado para o diabo e para os seus anjos. Pois eu estava com fome e não me destes de comer; eu estava com sede e não me destes de beber; eu era estrangeiro e não me recebestes em casa; eu estava nu e não me vestistes; eu estava doente e na prisão e não fostes me visitar'. E responderão também eles: 'Senhor, quando foi que te vimos com fome, ou com sede, como estrangeiro, ou nu, doente ou preso, e não te servimos?' Então o Rei lhes responderá: 'Em verdade eu vos digo, todas as vezes que não fizestes isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizestes!' Portanto, estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
O ENCONTRO QUE SALVA - A vida humana está mergulhada nos opostos: há uma luta entre o ,bem e o mal. Dois mundos diferentes, convivendo num mesmo ambiente. A cena evangélica chama-nos a atenção para nossas relações interpessoais, pois todas as atitudes têm uma incidência direta na sociedade. Nossa relação com Deus depende muito de como tratamos os que convivem conosco. Buscamos nossa segurança em Deus, mas é preciso ajudar os irmãos em seus sofrimentos, dando-lhes o mesmo amor e atenção que o Senhor nos presenteia. Essa é a herança dos benditos do Pai.

18 fevereiro 2018

Verdade e amor, são os caminhos do Senhor!

Deus se faz presente nesses quarenta dias de penitência e conversão!

Foram quarenta dias que Jesus permaneceu no deserto, sendo tentado pelo inimigo. "O Espírito levou Jesus para o deserto. E Ele ficou no deserto durante quarenta dias, e ali foi tentado por Satanás. Vivia entre os animais selvagens, e os anjos o serviam" (Mc 1, 12-15).
O Espírito do Senhor nos conduz para o "deserto da vida". Todos nós, na nossa caminhada, rumo à terra prometida e ao céu, precisamos atravessar ao deserto que é a nossa vida.
O deserto acontece, estritamente, aqui no meu e no seu coração, pois o deserto é o nosso interior,é a nossa alma. O deserto é o lugar do encontro com Deus e nesse deserto somos tentados, pois, o tentador não nos quer em comunhão com Deus; ele não quer que nos autoconheçamos, não quer que entremos com profundidade na nossa alma, por isso, caminhamos muitas vezes na superficialidade e não nos autoconhecemos como realmente deveríamos.
Não entramos na comunhão com Deus como precisaríamos entrar, porque o tentador nos mantém na inércia, e assim, não travamos o "combate", o combate dos exércitos, o combate espiritual, o combate de dizer não às tentações. O máximo que o tentador consegue fazer é nos tentar, mas ele não nos faz sucumbir à tentação, somos nós que cedemos a ela.
No "deserto da vida" nós estamos cercados por "animais selvagens" e pelos "anjos" que os servem. Os animais selvagens dessa vida são muitos e muitas vezes eles vêm, querendo nos roubar de Deus e nos atacar. Não paremos nos animais selvagens, e nem nos tornemos selvagens, pois, uma legião de anjos, a presença angelical e divina, estão no meio de nós.
Nesse contexto os animais selvagens aos quais me refiro, simbolizam os poderes do mal. Eles não podem nos derrubar ou destruir, quando vivemos em comunhão com Deus no deserto da vida. Nele Deus não nos deixa sozinhos, nós até sentimos a solidão, o abandono e a tristeza, mas, também, nesse deserto temos a certeza de que a nossa alma e o nosso coração, estão envolvidos com Deus e que os Seus anjos estão ao nosso serviço.
Não tenhamos medo do combate espiritual e não entremos no combate esmorecidos, desanimados ou como fracassados, porque ao nosso lado está o Senhor nosso Deus, e em cada batalha que enfrentamos nessa vida, a graça d'Ele nos socorre, nos levanta e nos ajuda no combate.
Esses quarenta dias que vivemos na Quaresma, simbolizam justamente os quarenta dias vividos por Jesus no deserto e ali  Ele foi tentado. Esses quarenta dias têm um significado espiritual profundo, de como devemos enfrentar a "grande Quaresma da vida". No combate espiritual temos a certeza de que Deus está ao nosso lado.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (18/02/18)

É o Espírito quem deve conduzir a nossa vida como o vento leva um barco à vela. Às vezes ele nos leva para o deserto outras vezes para o jardim. Naquele dia o Espírito levou Jesus para o deserto e lá Ele foi tentado pelo demônio; poderíamos perguntar: Mas como assim, o Espírito levou Jesus para um lugar ruim, para o reinado de Satanás, para a dificuldade, para tentação? Sim! Como bom pedagogo o Espírito não nos poupa das dificuldades; um bom pai, um bom educador não cria uma bolha para defender os seus filhos, defender os seus estudantes das dificuldades, ele permite que os seus educandos passem por dificuldades suportáveis e até pela tentação para crescer e aprender a viver. (Mc 1,12-15).
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho do 1º Domingo da Quaresma

A Igreja recorda hoje a memória de Santa Bernardete Soubirous, religiosa, + 1879,
Beato João de Fiésole (Fra Angélico), religioso, +1455, S. Teotônio, religioso, +1162, S. Simeão, bispo, mártir, +séc. II,
S. Francisco Régis Clet, presbítero e mártir, +1820.
 
Evangelho (Mc 1,12-15)

O homem não vive somente de pão, mas de toda a palavra da boca de Deus (Mt 4,4).
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.

Naquele tempo, o Espírito levou Jesus para o deserto. E ele ficou no deserto durante quarenta dias, e aí foi tentado por Satanás. Vivia entre os animais selvagens, e os anjos o serviam.
Depois que João Batista foi preso, Jesus foi para a Galileia, pregando o Evangelho de Deus e dizendo: "O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho!"
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
É TEMPO DE CONVERSÃO - "Completou-se o tempo e o Reino de Deus está próximo; fazei penitência e crede no Evangelho".
Qual é o tempo de Deus? Para Deus, o tempo da graça é sempre o agora. Nosso envolvimento com a mudança de atitudes é sempre atual, e não pode esperar. Jesus já está entre nós, o tempo já se completou, a salvação foi-nos dada, mas, no entanto, as pessoas ainda estão presas ao passado e ao futuro, reproduzindo maus hábitos e fantasiando milagres.
Senhor, soprai teu Espírito no deserto de minha vida, para que eu transforme a secura em um coração fértil, cheio de bondade e amor.
Como gesto concreto, vou priorizar momentos fortes de oração pessoal, para fortalecer meu espírito.

17 fevereiro 2018

Pense nisso!

O meio mais eficaz de se defender do mal é deixar que Jesus nos defenda.
Papa Francisco

Ensinai-me os vossos caminhos e na vossa verdade andarei!

Os pecadores são chamados à conversão!

Deus nos chama para viver um tempo de conversão. "Os que são sadios não precisam de médicos, mas sim os que estão doentes. Eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores para a conversão" (Lc 5, 27-32).
A sinceridade do coração nos leva a entender e a compreender que todos nós somos fracos, doentes e pecadores. Mais cedo ou mais tarde, a fragilidade bate na nossa porta e ninguém, por mais que nos esforcemos, que façamos exercícios físicos ou sejamos disciplinados no alimentar, tudo isso pode prolongar um pouco mais a nossa vida e, é ótimo! Mas, a fragilidade bate na nossa porta, pois, uma vez que, a morte entrou no mundo, somos sujeitos a ela e à medida que o tempo passa, ela nos chama para mais perto.
É o ciclo o ciclo natural da vida e isso não é ruim. Na verdade é uma graça reconhecer a nossa fraqueza, impotência e miséria, porque isso não eleva aquele espírito orgulhoso e soberbo que, muitas vezes, tomam conta de nós. Reconhecer as nossas fraquezas nos ajuda, inclusive, a compreender a condição de pecadores que nós somos.
Não é simplesmente dizer: "eu sou o pecador", e sim, reconhecer que, de fato, tenho pecado. Quando reconheço o pecador e a pessoa miserável que eu sou; reconheço a misericórdia de Deus para comigo, desse modo, não me sinto melhor do que os outros, não julgo os outros e não os condeno.
Quem gasta as suas energias para julgar, condenar e fazer juízos de valores é porque não conhece a si mesmo. Às vezes reclamamos, porque (deduzimos) que Deus não está perto de nós, mas, Deus está perto dos pecadores!
Deus vem para cuidar dos pecadores e quanto mais frágil nós nos reconhecermos, mais podemos experimentar da doçura, ternura, bondade, e da misericórdia de Deus para conosco.
É muito importante nos nossos exercícios Quaresmais a sinceridade de coração, pois, ela nos leva a uma verdadeira conversão. Nós só somos convertidos, quando reconhecemos com seriedade, serenidade e profundidade o abismo que encontra-se a minha alma e o meu coração; quando reconhecemos com verdade o pecador que somos, os pecados que temos, a nossa fragilidade; quando reconhecemos que não somos melhor do que ninguém. Quando esses "reconhecimentos" acontecem, Deus vem em nosso socorro, em nosso auxilio e nos transforma, nos toca, nos cura e abençoa, porque a misericórdia d'Ele nos socorre, nos salva e transforma.
Devemos nos apresentar diante do Senhor não como justo, mas como pecador que somos e a Sua misericórdia é o balsamo e o socorro que a nossa alma e o nosso coração tanto precisa.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (17/02/18)

Precisamos ir com frequência ao médico para aumentar nossa saúde e diminuir a faixa de doença que todos temos. Ninguém é totalmente saudável, mas também, não somos totalmente doentes e é preciso que o profissional da saúde, olhando para os exames, acompanhando nossa vida, possa nos dizer como aumentar nossa saúde e não simplesmente combater as nossas doenças. Às vezes, deixamos para ir no médico quando tudo já está perdido, quando a faixa de doença é bem maior do que a nossa saúde, é preciso cultivar uma vida saudável, hábitos saudáveis e um profissional da medicina pode nos ajudar a fazer isso. (Lc 5,27-32)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho do Sábado depois das Cinzas

A Igreja recorda hoje a memória dos Santos Fundadores da Ordem dos Servitas, século XIV, do Beato Lucas Belludi, religioso, presbítero, +1285, S. Policrônio, bispo. mártir, +250,
S. Silvino, bispo.
 
 
Evangelho (Lc 5,27-32)

Não quero a morte do pecador, diz o Senhor, mas que ele volte, se converta e tenha vida (Ez 33,11).
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

Naquele tempo, Jesus viu um cobrador de impostos, chamado Levi, sentado na coletoria. Jesus lhe disse: "Segue-me". Levi deixou tudo, levantou-se e o seguiu.
Depois, Levi preparou em casa um grande banquete para Jesus. Estava aí grande número de cobradores de impostos e outras pessoas sentadas à mesa com eles. Os fariseus e seus mestres da Lei murmuravam e diziam aos discípulos de Jesus: "Por que vós comeis e bebeis com os cobradores de impostos e com os pecadores?"
Jesus respondeu: "Os que são sadios não precisam de médico, mas sim os que estão doentes. Eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores para a conversão".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.
 
Reflexão sobre o Evangelho:
CONVIDADOS À CONVERSÃO - O amor ao próximo nos discursos de Jesus é o eixo central. Mas há uma grande diferença: amar os inimigos. Amar os que nos amam é fácil; porém, amar os que nos perseguem é uma cruz. A cada um é dada a capacidade de fazer o bem e ajudar o semelhante a encontrar o amor. É preciso, antes de tudo, amar os inimigos interiores, nossos demônios pessoais para olhar os inimigos exteriores com o rosto materno de Deus. Cada gesto de misericórdia para com os filhos das trevas é um degrau que avançamos na construção de um mundo mais fraterno. O amor destrói a inimizade e reconstrói a dignidade.

16 fevereiro 2018

Agenda de Missas da Paróquia de Nossa Senhora dos Aflitos.

17/02( Sábado)
☆ 9h = Celebração com as crianças.
☆ 19h = Missa na Capela de Nossa Senhora do Rosário.

18/02(Domingo)
☆ 7h e 19h = Missa na Matriz.
☆ 9h = Missa na Capela de Santa Cecília.

Parabéns e Feliz Aniversário!

Mainha querida, minha Mãe, eu dou graças a Deus por sua vida, por ser sua filha e por aprender tanto com seu amor de Mãe. Creio que Deus sempre tem grandes bênçãos para sua vida, pois a senhora tem sido uma mulher fiel, cheia de fé e com o coração repleto de amor.
A senhora tem andado com paciência buscando sempre o melhor para a sua vida. Deus tem guardado seus passos, tem sustentado sua fé e esse amor é repassado. Eu sinto isso porque sou sua filha, sou fruto do seu amor, sou parte da sua história, um pedaço do seu mundo e um sonho que se realizou na sua vida.
Minha Mãe querida, que Deus lhe conserve assim; especial, amiga, Mãe e serva desse Deus que pode todas as coisas. Amo muito a senhora, e não tenho dúvidas de que sua capacidade de ser exemplo de amor continuará vencendo os limites do tempo. Parabéns e Feliz Aniversário para a minha Mãe maravilhosa!
Que o céu cubra a senhora de bênçãos, como recompensa pelo coração bondoso que existe no seu peito! Parabéns, minha Mãe por estes 86 anos de VIDA, parabéns por esta união conjugal de 69 anos, e até hoje eu sinto o tamanho do amor de Deus para a senhora e o meu Pai, que já está com 93 de VIDA, na verdade o que Deus uniu o homem não separa!
Eu tenho duas Joias Preciosas!
Uma Família Unida é uma Família Feliz!
PARABÉNS a senhora é uma Mãe de Ferro!

Pense nisso...

Sem Deus estamos sozinhos!
São João Paulo II

Ó Senhor, não desprezeis um coração arrependido!

O jejum precisa fazer parte da nossa vida!

O jejum é uma proposta da renovação da força espiritual. "Não façais jejum com esse espírito, se quereis que vosso pedido seja ouvido no céu. Acaso é esse jejum que aprecio, o dia que uma pessoa se mortifica? Trata-se talvez de curvar a cabeça como junco, e de deitar-se em saco e sobre a cinza? Acaso chamas a isso jejum, dia grato ao Senhor?" (Is 58, 1-9a).
O jejum faz parte das nossas práticas religiosas e nem digo das práticas quaresmais, e ele precisa fazer parte da nossa vida. O jejum nos disciplina e liberta da escravidão que temos dos alimentos, das coisas materiais e de tantas outras coisas. O jejum tem uma função disciplinadora em nossa vida, mas muitas pessoas podem jejuar e nem serem religiosas, por isso, o nosso jejum não pode ser simplesmente uma abstinência de alimentos, deixar de comer isso e aquilo. Ele tem um sentido espiritual profundo e nos coloca em comunhão com o Senhor, pois é a opção que fazemos.
Nem só de pão vive o homem, mas nós vivemos da Palavra do Senhor, da comunhão com Deus e da intimidade e da relação com Deus.
Eu me abstenho de comer para me relacionar com o Senhor. E, aquilo que o profeta Isaías está falando para nós, é algo muito importante para entendermos o espírito do jejum, porque não basta simplesmente jejuar e colocar-se em oração, é preciso que o jejum quebre em nós o junco da escravidão, do pecado e do mal.
É preciso quebrar em nós, aquelas coisas que nós, humanamente falando, não conseguimos resolver . O ressentimento que temos, a mágoa que cultivamos e as relações que nós não conseguimos resolver. O jejum, por excelência, tem um poder espiritual no combate desta vida. Ele nos coloca em comunhão com Deus, conosco e uns com os outros.
Não "abramos mão" da força do jejum! E, o mais importante aqui, não é quantidade de alimentos que deixamos de comer, e sim, que se faça jejum espiritual, em oração, e de renovação espiritual.
Precisamos ter um propósito, uma disposição, uma vontade de saber partilhar e compartilhar o que tenho com os outros.
Quando eu me proponho a fazer um jejum, proponho também tirar tudo o que eu tenho, das posses que tenho para olhar para quem não costumo olhar, que são os mais pobres, sofridos e os necessitados.
Há pessoas que fazem jejum quase a vida inteira, porque não tem o que comer. Nos excessos que temos, que possamos cuidar daqueles que não têm.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (16/02/18)

Faça penitência mas seja discreto; se você não consegue deixar uma pequena prática em determinado momento, pode ser uma vaidade. Dizem que Santo Agostinho era vegetariano, era sua penitência não comer carne, mas ninguém ficou sabendo durante toda sua vida, porque quando ele recebia uma visita servia carne e comia, porque pra ele ser discreto era muito mais importante do que manter, por vaidade, uma prática de disciplina, de ascese. Quando nós fazemos questão de mostrar a todos que estamos de dieta, que estamos em jejum, que estamos em oração, que estamos em silêncio pode ser que já não estejamos crescendo espiritualmente porque esta prática saudável se tornou um cárcere, o cárcere da nossa vaidade. (Mt 9,14-15).
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Sexta-feira depois das Cinzas

Evangelho (Mt 9,14-15)

Buscai o bem, não o mal, pois assim vivereis; então o Senhor, nosso Deus, convosco estará! (Am 5,14).
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

Naquele tempo, os discípulos de João aproximaram-se de Jesus e perguntaram: "Por que razão nós e os fariseus praticamos jejuns, mas os teus discípulos não?"
Disse-lhes Jesus: "Por acaso, os amigos do noivo podem estar de luto enquanto o noivo está com eles? Dias virão em que o noivo será tirado do meio deles. Então, sim, eles jejuarão".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
O ESPOSO ESTÁ PARA PARTIR - Os fariseus eram exímios observantes da Lei de Moisés e também assíduos vigilantes do próximo. Seus sistemas de observação em nada correspondiam aos de Jesus, pois eram extremamente contraditórios. Questionavam Jesus sobre o jejum que os discípulos não observavam. De fato, enquanto a festa está acontecendo, não faz sentido privar-se dela. Jesus é o noivo e, por isso, os convidados devem alegrar-se na sua presença. Mas deixa um alerta sobre sua morte. Desse modo, o jejum terá sentido, pois estará em vistas da conversão e da espera, levando o crente a abandonar-se no poder da fé, para celebrar a vida nova.

15 fevereiro 2018

É feliz quem a Deus se confia!

Devemos obedecer os mandamentos da lei do Senhor nosso Deus!

O Senhor nos ensina que precisamos ser conduzidos pelo seu amor. "Se obedeceres aos preceitos do Senhor Teu Deus, que eu hoje te ordeno, amando ao Senhor teu Deus, seguindo seus caminhos e guardando seus mandamentos, suas leis e seus decretos, viverás e te multiplicarás, e o Senhor teu Deus te abençoará na terra em que vais entrar, para possuí-la" (Dt 30, 15-20).
A verdade é uma só: para viver o caminho da vida e não o caminho da morte, é preciso caminhar na obediência: aos mandamentos, às leis e aos decretos do Senhor, nosso Deus.
Quantas vezes nos perguntamos, para que mandamentos, leis e decretos, se só existem morte e mal no mundo, se o mundo não vive nem as ordens naturais do respeito ao próximo, do respeito à natureza.
Quem é que não sabe que o rio não deve ser poluído? Mas poluem, sujam e o estragam. E as leis de trânsito? Não teríamos uma morte se quer, ou o mínimo de mortes, se as leis de trânsito fossem obedecidas.
A graça de Deus é plena em nós quando guardamos os mandamentos, as leis do Senhor, do nosso Deus, mas, por favor, como homens e mulheres de Deus nós não podemos ter uma hipocrisia religiosa. Dizer: "eu sou religioso; vou à missa todo domingo; faço jejum; observo a Quaresma". Porém, eu não obedeço às coisas mínimas da vida, a começar pelas leis de trânsito e das coisas mais simples e corretas que precisam ser obedecidas, mas, o princípio fundamental é ter um coração colado na lei do Senhor, nosso Deus.
Devemos ter o coração preso ao Senhor, nosso Deus, e ouvi-Lo, amá-Lo e adorá-Lo. O nosso coração, tantas vezes, foi deixado levar-se por outros sentimentos que não são de Deus.
Nós somos absorvidos por impulsos, sentimentos, guerras e disputas, que estão no mundo e nos guiam, conduzem; e somos levados "para lá e para cá", levados e direcionados. É hora de abandonar tudo isso: sair dessas porcarias que estamos, como as redes sociais, mandando coisas “para lá e para cá”, com postagens disso e daquilo. É preciso centrar o foco no amor que Deus tem por nós.
Se queremos uma vida renovada, transformada, curada e abençoada, tenhamos em Deus a direção da nossa vida. Coloquemo-nos em Deus, de joelhos dobrados, diante da presença d'Ele, que é a bênção que nós precisamos para viver.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (15/02/18)

A cruz é uma ponte, é uma fonte de amor. Nela o Senhor nos ensinou que o sentido desta vida é dar a vida pelos irmãos. Ele disse: "Eu vim para que todos tenham vida e vida plena! " E Ele também disse: "Eu vim para servir e dar a vida por todos!" Dar a vida é muito mais do que morrer, é doar-se pelos outros, é manter o coração aberto, a mente aberta, os braços abertos, os ouvidos, os olhos abertos; é manter a vida na dimensão da abertura ao outro, isto é amar, amar é abrir-se para o outro. Vivemos num mundo de clausuras, num mundo em que as pessoas se fecham para o outro. Jesus nos ensinou que amar é abrir e que a cruz é uma luz. (Lc 9,22-25)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Quinta-feira depois das Cinzas

A Igreja recorda hoje a memória de S. Cláudio La Colombière, presbítero, + 1682,
Santo Antônio (Trasladação das Relíquias),
Santa Jovita, mártir, +120,
S. Faustino, mártir, + 120.
 
Evangelho (Lc 9,22-25)

Convertei-vos, nos diz o Senhor, está próximo o reino de Deus! (Mt 4,17).
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "O Filho do Homem deve sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia".
Depois Jesus disse a todos: "Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz cada dia e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; e quem perder a sua vida por causa de mim, esse a salvará.
Com efeito, de que adianta a um homem ganhar o mundo inteiro, se se perde e se destrói a si mesmo?"
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
O CAMINHO DO MESTRE - De que vale ganhar o mundo inteiro, se a alma se condena? A renúncia à própria vida significa entrega total a Deus. Tomar a cruz é ser responsável pelo que Deus nos confiou. Se a cruz é um peso, é porque falta compreensão da própria essência e, consequentemente, do que Cristo nos comunicou. Negar a cruz é fugir de Deus para refugiar-se na materialidade consumista do mundo. A cruz é o sinal de que escolhemos o Reino por herança, pois nela brilha a face do Ressuscitado. Não é símbolo de fracasso, e sim de esperança na vida eterna. Cristo sustenta-nos quando nossa cruz pesa.

14 fevereiro 2018

Pense nisso!

Por favor não ofenda os outros!
Papa Francisco

Misericórdia, ó Senhor, pois pecamos!

Na Quaresma abra seu coração para Jesus!

A Quaresma é tempo de conversão do nosso coração com jejum e penitência. "Agora, diz o Senhor, voltai para mim com todo o vosso coração, com jejuns, lágrimas e gemidos; rasgai o coração, e não as vestes; e voltai para o Senhor, vosso Deus" (Jl 2, 12-18).
O convite que Deus nos faz, no início desta Quaresma, nesta Quarta-feira de Cinzas, não é nem um outro a não ser nos voltarmos inteiros para Ele. Porque, se existe uma tentação na vida e no mundo, é a tentação de ter um coração dividido e fracionado. Ninguém que esteja me escutando agora, tenho a certeza de que, não afastou-se de Deus inteiramente. Se está me escutando é porque no seu coração tem espaço para Deus, porque, caso contrário, escutaria outras coisas que causam mais prazer a degustação do coração humano.
Se ainda escuta a Palavra de Deus é porque no seu coração tem espaço para Deus, mas não adianta ter espaço para o Senhor, se o coração é dividido, porque com isso, o coração declina-se , cai e não vive a integridade do amor de Deus. Desculpe, Deus não nos dá migalhas, e sim, se dá por inteiro a nós, e Ele quer que sejamos inteiramente d'Ele, pois, de outra forma, nosso coração continuará se machucando e tomado pela incredulidade, maldades e seduções do mundo.
Esse tempo de graça, que agora começamos, não é somente um tempo de jejum e penitência; é mais do que isso. O objetivo maior é outro, nós queremos é que nossos corações sejam inteiros de Deus, e não sejam mais dividido entre o Senhor e o mundo.
Estamos no mundo, mas somos todos de Deus. Esse é o propósito que deve guiar a nossa caminhada quaresmal.
Passamos pelo deserto da vida e das provações, mas somos todos de Deus. Rasgue e abra seu coração, mas para que vamos rasgar o nosso coração? Para tirar as coisas velhas, impuras, que não são de Deus e estão dentro do nosso coração.
Vamos tirar as profanações, as coisas estragadas, mentiras do mundo e tudo aquilo que nos rouba da presença do Senhor nosso Deus. Rasgue! A penitência ajuda; o jejum é um santo remédio; a esmola, a caridade e o amor ao próximo nos colocam no prumo e na direção certa.
Mas o fundamental é rasgar-se, jogar-se e se lançar para que, o nosso coração, não se dividida mais por ninguém e nem por nada, mas seja do Senhor, nosso Deus.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (14/02/18)

A Quaresma é o retiro anual do cristão; temos quarenta dias para recuperar uma vida salutar: são as férias da alma. Existem três remédios que precisamos tomar para ter mais saúde espiritual; o jejum nos recupera na saúde do corpo, é preciso deixar de lado algumas coisas; a abstinência também nos ajudará, qual será a sua abstinência nesta Quaresma? A oração nos ajuda a recuperar o relacionamento com Deus, a nossa santidade; qual é a prece que você vai intensificar nestes quarenta dias? E a caridade recupera nossa saúde no relacionamento fraterno com os irmãos; qual é a esmola, a caridade concreta que você vai fazer nesta Quaresma? Ao final seremos mais íntegros, integrados, mais saudáveis. (Mt 6,1-6.16-18)
Pe. Joãozinho, scj

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Quarta-feira de Cinzas

Festa da Igreja: QUARTA-FEIRA DE CINZAS.
A Igreja recorda hoje a memória de S. Metódio, bispo, +885, e S. Cirilo, monge, +868, Co-Patronos da Europa, S. Valentim, bispo, mártir, +273. 
 
Evangelho (Mt 6,1-6.16-18)

Jesus Cristo, sois bendito, sois o ungido de Deus Pai!
Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: não fecheis os corações como em Meriba! (Sl 94,8).
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Ficai atentos para não praticar a vossa justiça na frente dos homens, só para serdes vistos por eles. Caso contrário, não recebereis a recompensa do vosso Pai que está nos céus.
Por isso, quando deres esmola, não toques a trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem elogiados pelos homens. Em verdade vos digo: eles já receberam a sua recompensa. Ao contrário, quando deres esmola, que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita, de modo que a tua esmola fique oculta. E o teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa.
Quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de rezar de pé, nas sinagogas e nas esquinas das praças, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo: eles já receberam a sua recompensa. Ao contrário, quando orares, entra no teu quarto, fecha a porta, e reza ao teu Pai que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa.
Quando jejuardes, não fiqueis com o rosto triste como os hipócritas. Eles desfiguram o rosto, para que os homens vejam que estão jejuando. Em verdade vos digo: eles já receberam a sua recompensa. Tu, porém, quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto, para que os homens não vejam que estás jejuando, mas somente teu Pai, que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
COMO AGRADAR A DEUS - No início da quaresma, pedem-se jejum, esmola e oração. Com que propósito? Não é para fazer bonito diante de Deus e da comunidade ou para tranquilizar a consciência. Certamente essa prática é para nos ajudar a fazer uma experiência de conversão autêntica. A recompensa está em Deus. Que a caridade seja desinteressada em vistas da promoção do ser humano, que o jejum seja das más atitudes para sermos bons cidadãos. E que a oração seja um profundo louvor a Deus, reconhecendo que sem Ele nada podemos fazer. Seja nossa quaresma tempo de discernimento.

13 fevereiro 2018

Bem-aventurado é aquele a quem ensinais vossa lei!

Paróquia de Nossa Senhora dos Aflitos.

Agenda para a Quarta-feira de Cinzas.
7h e 19h = Missa na Matriz.
9h15 = Missa na Capela de Santa Cecília.
17h = Missa na Capela da Assembleia(Se Não Chover).
17h = Celebração de Cinzas na Capela da Barra de São Pedro(Se Não Chover).
19h = Missa na Capela da Barra de Baixo(Se Não Chover).
19h = Celebração de Cinzas na Capela da Timbaubinha e Flores(Se Não Chover).

Deus nos ajuda a vencer as tentações do mal!

Deus não deixa seus filhos caírem em tentação, confiemos na sua graça. "Ninguém, ao ser tentado, deve dizer: 'É Deus que me está tentando', pois, Deus não pode ser tentado pelo mal e tampouco Ele tenta a ninguém. Antes, cada qual é tentado por sua própria concupiscência, que o arrasta e seduz. Em seguida, a concupiscência concebe o pecado e dá a luz, e o pecado, uma vez consumado, gera a morte" (Tg 1, 12-18).
Essas palavras de São Tiago nos ajudam a entender uma coisa muito importante na vida: não podemos mais sermos ingênuos, imaturos e dizer que é Deus que está nos provando, tentando, e que está nos testando. Meu irmão, Deus é o supremo bem e a bondade, e Nele e não há espaço para nada que é do mal. Deus não prova, testa e não coloca ninguém em situações tenebrosas. O Senhor não coloca ninguém no abismo entre o bem e o mal.
Deus não coloca ninguém para pecar, muito pelo contrário, nós que temos inclinações pecaminosos e a essas chamamos de concupiscência, que é a fraqueza que cada um tem ou as várias fraquezas que, ao longo da vida acumulamos. Como, por exemplo, o temperamento, a tendência de comer isso, de beber, e assim por diante. “Ah! Estou bebendo muito, porque Deus está me provando”. Não!Você está bebendo muito porque não controlou-se e ficou do jeito que está.
O pecado que estamos cometendo nunca é tentação de Deus,  porque o Senhor é Aquele que nos previne do tentador e não quer que caiamos em tentação. Agora, é verdade que: Deus é tão bom e amoroso que na tentação Ele está conosco e, mesmo se cairmos nela, Ele estará conosco para nos levantar.
Deus não quer caiamos, porque, o pecado, uma vez concebido, gera morte; e cada um deles é uma morte da graça do Senhor, da virtude que deveríamos ter e nos coloca no caminho da morte, no sentido mais amplo que ela é. Por isso, o importante é compreender que a tentação não é pecado, mas sucumbir-se a ela é. Porém, podemos passar pelas tentações da vida, pois a vida terá várias delas.
Nós podemos nos livrar de tantas tentações, porque, se somos maduros e nos conhecemos como deveríamos, vamos adquirindo habilidades. Não são habilidades humanas, e sim, de confiar na graça e entregar-se nas mãos de Deus; e não entregar-se às tentações.
Conheçamos a nós mesmos, as inclinações que temos em nossos corações e, cuidemos, vigiemos, sejamos prudentes, porque a queda é sinal de que estamos vivendo as inclinações negativas e pecaminosas que há em nós.
Não caímos quando confiamos na graça de Deus, que não nos deixa cair em tentação.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (13/02/18)

Aos olhos da fé o pouco é muito e o menos é mais; com quase nada podemos fazer quase tudo. Os discípulos estavam na barca e haviam esquecido de levar alimento, tinham apenas um pão e discutiam como que seria suficiente para todos e Jesus olha pra eles e diz: "Vocês já se esqueceram do milagre da multiplicação dos pães?" Para Deus nada é impossível. As mães sabem como transformar o pouco alimento no suficiente para todos os filhos, os pobres sabem como transformar quase nada em quase tudo e realizar milagres de sobrevivência. Com fé faremos proezas e o impossível acaba se tornando possível, até com o pouco. (Mc 8,14-21)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Terça-feira da 6ª semana do Tempo Comum

A Igreja recorda hoje a memória de Santa Catarina de Ricci, religiosa, +1590,
Beata Cristina de Espoleto, virgem, secular, +1458, Beato Jordão da Saxônia, presbítero, +1237, S. Gregório II, papa, +731, S. Benigno, presbítero, mártir, + séc. V, S. Valentim, presbítero, mártir, +268, S. Martiniano, monge, séc. IV, S. Tiago de Viterbo, S. Gilberto, bispo.

Evangelho (Mc 8,14-21)

Quem me ama, realmente, guardará minha palavra e meu Pai o amará, e a ele nós viremos (Jo 14,2).
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.

Naquele tempo, os discípulos tinham se esquecido de levar pães. Tinham consigo na barca apenas um pão. Então Jesus os advertiu: "Prestai atenção e tomai cuidado com o fermento dos fariseus e com o fermento de Herodes".
Os discípulos diziam entre si: "É porque não temos pão". Mas Jesus percebeu e perguntou-lhes: "Por que discutis sobre a falta de pão? Ainda não entendeis e nem compreendeis? Vós tendes o coração endurecido? Tendo olhos, não vedes, e tendo ouvidos, não ouvis? Não vos lembrais de quando reparti cinco pães para cinco mil pessoas? Quantos cestos vós recolhestes cheios de pedaços?"
Eles responderam: "Doze". Jesus perguntou: E quando reparti sete pães com quatro mil pessoas, quantos cestos vós recolhestes cheios de pedaços? Eles responderam: "Sete". Jesus disse: "E ainda não compreendeis?"
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
AS MÁS INFLUÊNCIAS - O maior desafio de Jesus é fazer-se compreendido, primeiro pelos seus discípulos e depois pelo mundo. Parece que os que vivem mais comprometidos com a comunidade eclesial são os mais lerdos em entender que seguir Cristo é um mistério de fé. A palavra de Jesus é bem clara e simples: quem tem ouvidos ouça. A demora em entender os desígnios de Deus é um processo a ser bem lapidado por cada um de nós, pois o Senhor está disponível em nos ensinar as coisas do Reino. Basta colocar-se aos seus pés e, com atenção, anotar no coração o que Ele revela.

12 fevereiro 2018

Venha a mim o vosso amor e viverei!

A provação e as tribulações nos fazem cristãos fortes!

Deus não te abandona diante das provações, porque Ele está sempre ao seu lado. "Meus irmãos, quando deveis passar por diversas provações, considerai isso motivo de grande alegria, por saberdes que a comprovação da fé produz em vós a perseverança. Mas é preciso que a perseverança gere uma obra de perfeição, para que vos torneis perfeitos e íntegros, sem falta ou deficiência alguma" (Tg 1, 1-11).
A palavra de Deus traz a nós, nessa carta de São Tiago, duas coisas importantes: a primeira delas é a provação; todos nós somos provados na vida e alguns entendem errado e acham que provação é Deus abandonando. Não! Provação é Deus estando conosco quando, Ele está conosco quando somos provados e vivemos situações difíceis e complicadas como o Seu próprio Filho, nosso Senhor Jesus Cristo, viveu no meio de nós.
Provação não é só tentação da carne, somos provados de diversas maneiras: com sofrimento, doenças, enfermidades, dificuldades financeiras, mas, somos provados, também, na nossa fragilidade humana e espiritual, enfim, somos tentados em situações e circunstâncias. Para que servem as provações? Para nos amadurecer, nos tornar homens e mulheres íntegros e que saibam fazer escolhas na vida. A provação não me afasta de Deus, ela me aproxima d'Ele; se eu vivo com Ele toda e qualquer provação nos amadurece.
Se olharmos para o nosso passado, perceberemos tantas coisas difíceis já enfrentamos e, hoje, podemos olhar de outra forma e perceber como crescemos, amadurecemos. Só não crescemos mais, porque não soubemos aproveitar melhor as circunstâncias difíceis que vivemos ou passamos. Em cada provação tem uma lição a ser dada, aprendida e vivida e podemos amadurecer e nos tornar um homem melhor, maduro e mais próximo de Deus.
Quando sabemos ler as provações com a ótica da fé e da maturidade humana, produzimos a perseverança. As pessoas passam pelas provações e desistem, desanimam e deixam o caminho, desse modo, não crescem na fé, ela não têm testemunhos para dar. "Eu passei por dificuldade, então, deixei e abandonei tudo"; "a minha família está passando por tribulações", então, deixa a família; "a Igreja está passando por isso", então, deixa a Igreja, sendo assim, não ficamos em nada e não crescemos na vida.
Aguente! Persevere! Lute e não desanime! A provação produz homens e mulheres fortes, que sabem enfrentar a vida como ela deve ser enfrentada. E se passar por provação, enfrente! 
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (12/02/18)

Antes de responder a uma provocação, respire fundo; isso oxigena o cérebro e evita a trágica palavra precipitada. Os fariseus viviam provocando o Mestre de Nazaré e um dia chegaram a pedir um sinal do Céu; antes de responder, Ele suspirou, Ele respirou, Ele parou, Ele pensou e depois respondeu a altura, mas a palavra foi pensada, foi matutada. Às vezes somos muito rápidos em reagir a uma provocação e iniciamos a briga, num círculo vicioso da revanche, da vingança e da violência. É preciso respirar, talvez até mesmo suspirar. (Mc 8,11-13)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da segunda-feira da 6ª semana do Tempo Comum

A Igreja recorda hoje a memória de Santa Eulália de Barcelona, virgem e mártir, +304, S. Reinaldo (Reginaldo) de Orleães, religioso, +1348, Santo Antônio Cauleas, patriarca de Constantinopla, +901, Beato José Olallo Valdês, religioso. 

Evangelho (Mc 8,11-13)

Sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai, senão por mim (Jô 14,6).
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.

Naquele tempo, os fariseus vieram e começaram a discutir com Jesus. E, para pô-lo à prova, pediam-lhe um sinal do céu. Mas Jesus deu um suspiro profundo e disse: "Por que esta gente pede um sinal? Em verdade vos digo, a esta gente não será dado nenhum sinal". E, deixando-os, Jesus entrou de novo na barca e se dirigiu para a outra margem.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
DISPUTANDO COM JESUS - Uma ala do farisaísmo esteve em contínuo litígio com Jesus. Certos fariseus não perdiam a oportunidade de colocar-lhe armadilhas. Tentavam pegá-lo em alguma palavra passível de ser mal-interpretada, para poder acusá-lo diante das autoridades civis e religiosas. Jesus, porém, sempre se manteve vigilante para não se deixar enredar.
Mas o que eles não aceitavam em Jesus? Entre outras coisas, a forma irreverente como se referia a Deus, chamando-o de pai; a pretensão de ser igual a Deus, ao realizar obras que só a este competia fazer; a insubmissão diante dos preceitos religiosos; o fato de misturar-se com os pecadores, marginalizados e gente de má fama.
Por sua vez, Jesus não aceitava, nos fariseus: a hipocrisia deslavada, que os levava a ensinar uma coisa e fazer outra bem diferente; a insensibilidade diante dos fracos e pequenos, a quem impunham uma religiosidade opressora; o espírito segregacionista, que lhes dava ares de superioridade; a teologia anacrônica, incapaz de adaptar-se à novidade do Reino; a manipulação da religião, reduzida a seus caprichos e interesses.
O conflito ficará sem solução, até que os fariseus decidam eliminar Jesus, fazendo-o pender de uma cruz. A superação desse conflito acontecerá quando o Pai ressuscitar seu Filho, por estar do lado dele e dar-lhe razão.